Blog: Saiba Mais

A verdade que ninguem contou a voce sobre a escolha de carreira de seu filho ou filha

Com frequência tenho visto, mesmo entre os meus clientes adultos, o quanto os pais podem influenciar a vida profissional dos filhos.

Quase todos os dias, ao chegar do trabalho, o pai e a mãe dão informações a respeito deste universo para seus filhos: qualquer comentário, mesmo que aparentemente inofensivo, dá pistas para a criança sobre a maneira como seus pais encaram a vida profissional e, de alguma forma, contribui para construir a sua futura concepção de trabalho.

Sendo assim, a tendência é que os pais transmitam aos filhos seus conhecimentos e pré-conceitos em relação ao mercado de trabalho. Em geral, os pais ingressam no mercado com um intervalo de pelo menos duas gerações em relação aos filhos. No mundo contemporâneo, vinte anos é tempo suficiente para fazer surgir significativas modificações.

Tenho visto muitos pais cobrarem seus filhos em relação a situações profissionais que já não são mais verdadeiras, por falta de informação e conhecimentos desatualizados de mercado. Atualmente, por exemplo, os salários estão mais achatados, não é possível pensar na remuneração como se pensava há anos atrás. Há algum tempo, conversei com um jovem que sofria pela pressão do pai, que considerava o seu salário muito baixo, dizendo: “na sua idade, eu ganhava o dobro”.

As inseguranças, medos, expectativas e fantasias dos pais em relação ao trabalho podem ser revividas no momento da escolha da carreira e inserção no mercado de trabalho dos seus filhos.

Não é incomum que certos pais recomendem carreiras e iniciativas na vida profissional que são claramente reparatórias. Assim, pode-se projetar no filho todas as suas expectativas de sucesso, muitas vezes não alcançado ao longo da própria vida profissional. O filme Cisne Negro, ganhador do Oscar 2010, traz uma situação desta natureza, com a mãe bailarina que abandonou a profissão aos 28 anos para se dedicar à filha. Esta acaba optando pela mesma carreira e sofrendo forte pressão por parte da mãe para ser a primeira bailarina.

O ideal, no momento da escolha da carreira pelo jovem, é buscar a orientação de profissionais gabaritados, com isenção suficiente para ajudá-lo em um momento que deve ser de descoberta de si mesmo e do mundo.

Um critério que deve ser levado em conta para a escolha do Orientador de Carreira deve ser o seu conhecimento do mercado e a atuação prévia em organizações.

Apoiar seus filhos nesta primeira opção de vida pode ser crucial para que eles tenham a determinação e segurança para construir a carreira que desejam. Isto faz parte da felicidade deles!