Blog: Saiba Mais

Empreendedorismo e autoconhecimento, o grande desafio

A ascenção das carreiras emprendedoras

"Uma das qualidades distintivas do empreendedor é a capacidade de correr o risco de apostar a ser no futuro o que reconheço que ainda não sou no presente." Carlos Llano Cifuentes

Nos últimos anos, temos assistido rapidamente ao crescimento das carreiras empreendedoras. Mais que definir uma iniciativa de carreira autônoma, o empreendedorismo pode ser visto hoje como um estilo de trabalho, que implica numa atitude dinâmica, inovadora, aberta a novas possibilidades, continuamente voltada para a agregação de valor. Desta forma, o conceito se aplica não somente ao empreendedor como proprietário de um negócio, mas também ao empreendedor interno, que atua dentro de uma organização.

Empreender internamente pode ser um desafio significativo, se considerarmos variáveis tais como cultura organizacional e resistência à mudança por parte dos demais colaboradores. É comum que alguns profissionais sejam contratados para gerar mudanças, mas, uma vez dentro da empresa, acabam se rendendo ao status quo que pretendiam alterar.

No entanto, apesar desta crescente demanda, ainda se encontra um grande número de profissionais que alimentam a expectativa de construir uma trajetória linear e estável. É perfeitamente possível permanecer por um longo período em uma empresa, mas, em geral, isto se dá com movimentações internas decorrentes de mudanças de escopo de trabalho ou de área. Se assim não acontece, cabe ao profissional ir em busca de desafios internos, que possibilitem ampliar sua aprendizagem e competências e também diversificar contatos dentro da organização, além de (porque não?) preparar-se para o mercado.

A tão sonhada estabilidade já não existe mais em um mercado globalizado e altamente competitivo. O que se deve buscar é a segurança que só o autoconhecimento possibilita.

Se o ambiente externo está se tornando cada vez mais imprevisível é no próprio interior que o profissional pode buscar a sua estabilidade: saber quais os seus pontos fortes, o que faz melhor, o que o estimula e inspira etc. Escolher como aplicar os seus conhecimentos e competências e em que contexto é uma decorrência natural do processo de autoconhecimento.

Desta forma, o autoconhecimento passa a ser uma condição fundamental para qualquer profissional que quer empreender. O processo contínuo de se conhecer e o empreendedorismo podem e devem andar sempre juntos, já que o primeiro pode ser o combustível para exercitar o segundo de maneira consistente.