Blog: Saiba Mais

Os benefícios que o coaching proporciona a você

Nos últimos anos, a prática de coaching se disseminou no Brasil. Embora o coaching se caracterize como uma poderosa ferramenta de desenvolvimento humano, com esta expansão vertiginosa em pouco tempo, acabou por se tornar uma expressão genérica que nomeia práticas muito diferentes de mercado.

Essa diversidade de conceitos e práticas pode contribuir para uma atuação equivocada por parte de alguns Coaches (como são chamados os profissionais que oferecem o serviço de coaching). Daí a necesssidade de alguns requisitos fundamentais para atuar nesta função, dentre muitos outros:

  • Ter tido experiência significativa em diversos contextos organizacionais, a fim de ter conhecimento e familiaridade com temas como cultura e estrutura organizacional, jogos de poder inerentes às organizações, perfis e padrões de comportamento e comunicação; estilos de liderança, estratégias de influência;
  • Vivência anterior em posição de liderança;
  • Acentuada capacidade de escuta, sem pré-conceitos;
  • Interesse humano genuíno.
  • O processo de coaching também deve obedecer a algumas características que o definem como tal, e não como Treinamento, Orientação de Carreira, Mentoring ou Psicoterapia.

    Uma delas é a não diretividade, ou seja, o processo deve ser determinado pelos conteúdos que o cliente (chamado Coachee ou Performer) traz para as sessões e não pelo profissional que o acompanha, o Coach. O coaching parte do pressuposto que o Coachee detem recursos internos que lhe possibilitam chegar às respostas que procura, por este motivo o papel do Coach é de facilitador, não podendo fornecer respostas ou determinar os rumos do processo.

    Neste ponto reside grande parte da força do Coaching. Ele possibilita que o próprio Coachee encontre as respostas internamente e não que estas sejam dadas por outra pessoa. O desdobramento deste pressuposto é que a metodologia do Coaching é baseada em perguntas. Cabe ao Coach fazer perguntas que estimulem o Coachee a pensar de forma ampla sobre os temas trazidos, possibilitando uma perspectiva da situação sob ângulos diferentes dos que o Coachee tinha inicialmente.

    Além disso, o processo deve ser focal, voltado para o desenvolvimento de uma competência específica. Naturalmente, ao trabalhar um aspecto no comportamento do Coachee, outros poderão serão beneficiados, é o chamado “efeito dominó”. Sem este direcionamento, o processo corre o risco de se perder ou ficar na superficialidade e não gerar resultados concretos.

    O compromisso com o resultado é outro elemento essencial do processo de Coaching. Já que o processo trabalha para que ocorram mudanças de comportamento e este é passível de observação, pode-se “assistir” aos resultados do processo.

    Desta forma, além do próprio Coachee se beneficiar do processo, também usufruem dos resultados os seus interlocutores (colaboradores, chefia, pares e fornecedores) e, em última instância, a empresa em si.

    Vinculado ao aspecto do foco, temos a duração determinada do processo de coaching, já que a definição prévia do aspecto a ser trabalhado contribui para que Coach e Coachee se recordem continuamente do motivo pelo qual estão envolvidos no processo. Em geral, os processos variam entre 12 e 15 sessões.